quinta, 10/12 | www.facebook.com/camaramunicipaldemafra

Mariana Castello-Branco | Daniel Oliveira

inNatalis 2020 | Ciclo de Concertos de Natal do Concelho de Mafra
O registro está fechado
Mariana Castello-Branco | Daniel Oliveira

Time & Location

10/12/2020, 21:15
www.facebook.com/camaramunicipaldemafra

About the Event

Mariana Castello-Branco | Soprano

Daniel Oliveira | Órgão

Repertório

·  Pastorale | Domenico Zipoli (1688- 1726)

·  Gaudete, Gaudete Christus est natus | Anónimo, Séc.XV

·  Canção sacra "Ich Steh an Deiner Krippen Hier" | J.S.Bach (1685 - 1750)

·  Passacaglia | Anónimo Italiano (Séc.XVII)

·  While shepherds watch'd their flocks  | Nahum Tate (1652-1715)

·  Vergin, Tutto amor | Francesco Durante (1684 - 1755)

·  Variações sobre « Noël Etranger» | Claude Benigne Balbastre

·  Es ist ein Ros entsprungen  | Michael Praetorius

·  Avé Maria | Giulio Caccini (1551 - 1618)

·  Ária "Dominé Deus" (do Glória) | António Vivaldi (1678 - 1741)

·  Avé Maria | Bach/Gounod

·  A maiden most Gentle | Tradicional Francês

Mariana Castello-Branco

Mariana Castello-Branco, soprano, nasceu em Lisboa e iniciou os seus estudos musicais aos 6 anos na escola de música de nossa Senhora Do Cabo em Linda-a-Velha. Em 2004 ingressou na EMCN na classe de canto da professora Manuela de Sá, com quem concluiu o curso complementar de canto com distinção. Como aluna da escola efetuou masterclasses com os maestros João Paulo Santos e Armando Vidal, e trabalhou frequentemente sob a orientação do pianista José Manuel Brandão. Frequentou o Early music Summer Course em Tomar onde estudou com Jill Feldman.

Continuou a sua formação no Flanders Opera Studio em Gent na Bélgica sob a direção de Ronny Lauwers. Como membro do estúdio trabalhou com maestros como Pietro Rizzo e Yannis Pouspourikas; cantores como Sir Thomas Allen e Susan Waters; pianistas como Malcolm Martineau e Hein Boterberg e ainda diretores como Guy Joosten. Atualmente colabora frequentemente com o maestro Nicolas Achten e seu ensemble Scherzi Musicali.

As suas performances Operáticas incluem papeis como Pamina (Die Zauberflöte/W.A.Mozart/Flanders Opera Studio); 2nd woman-1st witch (Dido and Aeneas/H.Purcell/tour Bélgica); Diane (Acteón/ M.A.Charpentier/Flanders Opera Studio); Romy Shneider (Romy/Joris Blanckaert/ Flanders Opera Studio); Serpina (La serva padrona/G.B.Pergolesi/Teatro da Trindade); La princesse (L’enfant et les sortilèges/M. Ravel/TNSC).

Daniel Oliveira

Natural de Alenquer, Daniel Oliveira é diplomado em ciências musicais pela Universidade Nova de Lisboa, licenciado em órgão e cravo pela Escola Superior de Música de Lisboa sob orientação de João Vaz e Ana Mafalda de Castro sendo também mestre em pedagogia do instrumento pela mesma instituição.

Tem realizado inúmeros concertos em Portugal e no estrangeiro, sendo de destacar a temporada de Música de São Roque (Lisboa), Festival de Música de Mafra, Festival Internacional de Órgão de Faro, Festival Internacional de Órgão de Santarém, Festa da Música do Centro Cultural de Belém, Festival Internacional de Órgão de Cantábria (Espanha), Festival Internacional de Música “Pórtico del Paraíso” (Galiza) e Ciclo internacional de Organo de Sevilla.

Apresenta-se regularmente como organista e cravista inserido em grupos de referência tais como o Quarteto “Tempus”, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Sinfónica Juvenil, Coro do Instituto Gregoriano de Lisboa, Flores de Música e Capella Joanina.

Nos seus estudos de órgão e cravo, trabalhou e contactou com personalidades como Graham Barber, Luigi Ferdinando Tagliavini, J.L.Gonzalez Uriol, Javier Artigas, Kristian Olesen, Ketil Hausgand, Gerhard Doderer e Elisabeth Joié.

É professor de Órgão, Iniciação Musical, Baixo-contínuo e Música de Câmara na Escola de Música Luís António Maldonado Rodrigues (Torres Vedras), Atelier de Órgão de Torres Vedras e Salesianos de Lisboa.

É membro do Trio Ars Eloquentae, dirige o agrupamento barroco Magnificat desde 2013 e detém a titularidade dos Órgãos Históricos da Igreja da Misericórdia em Torres Vedras e Igreja Matriz de Oeiras.

É diretor artístico do Ciclo de Órgão de Torres Vedras e do Festival de Música Antiga da mesma cidade.

Participou na gravação de dois cd`s com os agrupamentos Capella Joanina e Flores de Música, com música sacra do compositor português Francisco António de Almeida.

Gravou recentemente um CD, ao órgão histórico da Igreja da Misericórdia em Torres Vedras, com música portuguesa e italiana dos séculos XVII e XVIII.

Share This Event